sábado, 9 de março de 2013

Resenha do livro: "Jesus Histórico: uma brevíssima introdução"


Marina Fontolan[1]

            O livro Jesus Histórico: uma brevíssima introdução foi escrito por André Leonardo Chevitarese (professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro) e por Pedro Paulo Abreu Funari (professor da Universidade Estadual de Campinas). É uma obra acessível para um amplo público, que foi lançada em 2012, pela editora carioca Klínē.
            Como o próprio título da obra afirma, o livro, em suas quase 80 páginas, leva o leitor a uma viagem sobre como se iniciou e se desenvolveu o interesse pelo estudo de Jesus, em seu lado histórico, não levando em conta apenas o lado que se tornou religioso da figura. Assim, em seus nove capítulos, apresenta-se ao leitor fontes atuais que são utilizadas para conhecer a personagem, que vão desde os Evangélicos do Novo Testamento bíblico até escavações arqueológicas.
            Desta forma, após uma introdução que fala do objetivo da obra de mostrar as possibilidades de conhecer o personagem histórico Jesus de Nazaré, os autores apresentam, no primeiro capítulo, as fontes que são atualmente utilizadas para o estudo deste personagem. Assim, são expostos não apenas os livros do Novo Testamento da Bíblia, textos que são mais comumente conhecidos, mas também os sítios arqueológicos que estão sendo estudados na região onde os relatos escritos afirmam que este personagem teria vivido. Além disso, também apresentam alguns documentos que têm sido utilizados nestes estudos, como os Manuscritos do Mar Morto, encontrados ao norte do Mar Morto em 1947 e datados de 150 a.C. A exposição dos documentos, embora realizadas de forma muito breve, dão uma boa base àqueles que gostariam de conhecer um pouco ou que estão começando a estudar o tema de forma mais aprofundada.
            A partir disso, já no terceiro capítulo, os autores apresentam sua própria história de Jesus de Nazaré. Iniciando-se da infância do personagem estudado, passando pela aproximação e, depois, afastamento do movimento Batista e terminando em sua crucificação, o personagem é apresentado não apenas através de um resumo das histórias bíblicas. Ele é sempre colocado em um contexto histórico mais amplo, que vão de movimentos sociais de pessoas que estavam infelizes ante sua situação de súditas do império romano à diferença entre o movimento ligado à Jesus e o Batista. O ponto alto da análise realizada neste capítulo é em relação aos milagres realizados pelo personagem: na contextualização deles, os autores notam como a antiguidade se distancia muito da atualidade. Afinal, embora hoje haja muitas pessoas que afirmam não acreditar em milagres ou divindades, isso não era comum na época em que o personagem estudado teria vivido, pelo contrário: milagres e divindades eram parte comum do cotidiano das pessoas e haviam vários milagreiros.
            Os próximos cinco capítulos da obra são dedicados a algo diferente: neles, os autores se propõem a fazer uma sistematização de como surgiu o interesse no estudo do Jesus Histórico e, também, como veio a se desenvolver ao longo do tempo. Assim, no quarto capítulo do livro, são apresentados estudos que antecedem o Iluminismo e durante este movimento intelectual, que vão desde a tentativa de harmonizar as narrativas dos Evangelhos - como teria sido o esforço de Calvino - às primeiras biografias que surgiram sobre o personagem, desde o final do século XVIII e durante todo o século XIX.
            No quinto capítulo, são apresentados estudos que criticaram os esforços biográficos. Aqui, são apresentados os trabalhos de Albert Schweitizer e Rudolf Bultmann, ambos datados da primeira metade do século XX, no qual afirmaram da impossibilidade e da falta de necessidade de se estudar a figura de Jesus sob um ponto de vista histórico. O sexto capítulo, no entanto, vai mostrar uma renovação do interesse pelo estudo histórico do personagem durante a segunda metade do século XX, mostrando que os trabalhos - assim como na época do Iluminismo - permaneceram céticos em relação aos milagres e sua historicidade, mas que, normalmente, buscavam ler Jesus no contexto do judaísmo do século I.
            Os sétimo e oitavo capítulos são dedicados à apresentação de tendências de estudo mais contemporâneas a nós. Neles, é apresentado o grupo "O Seminário de Jesus", criado na década de 1980, cujo trabalho é dividido em três partes: a primeira que buscou averiguar quais os ditos de Jesus presentes nos Evangelhos são historicamente autênticos; a segunda, que fez um esforço bem parecido, mas foi em relação à vida de Jesus; e a terceira, que busca descrever o mundo político e histórico do personagem, tendo como um de seus principais divulgadores o trabalho de John Dominick Crossan. Além deste grupo, os autores divulgam o trabalho de mais quatro estudiosos: Papa Bento XVI, James H. Charlesworth, Geza Vermes e Richard A. Horsley.
        Os autores, como dito, fazem questão de citar diversos estudiosos, apresentando seus trabalhos e suas principais ideias, de modo que o leitor, caso seja de seu interesse, possa ir buscar mais informações sobre o assunto. No entanto, infelizmente, os autores não apresentam os trabalhos realizados aqui no Brasil, algo que faz um pouco de falta quando se trata de uma editora brasileira divulgando um tema no país. Mesmo assim, por ser uma obra escrita numa linguagem simples, ela se torna acessível para o público em geral, despertando o fascínio que o tema nos traz de forma bem sistemática e de fácil compreensão. Ou seja, é uma excelente introdução a um tema que nem sempre é caro aos grandes meios de comunicação brasileiros.

* A responsabilidade pelas ideias apresentadas ao longo deste texto restringe-se ao autor.

PARA SABER MAIS

Chevitarese, André Leonardo; Funari, Pedro Paulo Abreu. Jesus Histórico: Uma Brevíssima Introdução. Rio de Janeiro: Klínē, 2012.




[1] Aluna de Mestrado em História pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e colaboradora do Laboratório de Arqueologia Pública Paulo Duarte (LAP/NEPAM/UNICAMP). E-mail: fontolan_marina@yahoo.com.br

Um comentário:

  1. Uau! Que história!
    Ótimo texto de resenha. Meus parabéns! Amei a maneira que vc usou para se expressar, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo como tema.
    www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir